terça-feira, 2 de março de 2010

AMOR é o que escrevo

O que encanta são as doces nuvens de Março.
Elas desenham as formas que eu tanto quero.
Não é delas o domínio dos meus sentidos abstratos,
e sim, os meus sonhos de algodão.
Eu bailo entre as tormentas e o cândido chuvisco.
Eu faço esvair as alvoradas entre os dedos,
recorrendo ao tempo inventado que me cabe.
Translúcida viagem comovente essa minha!
Alma viajante de poeta em cometas pequenos.
Estrelas de afagados catadas uma a uma.
Céu que beija o lago quieto franjado pelo verde.
Brilho que reluz reflexos frouxos de revoadas.
Pássaros, flores, sonhos e amores.
Amores meus que tenho achado como diamantes,
que são as pedras simples polidas do caminho.
Olhos que me seguem ao longe apaixonados.
Mãos que se juntam as minhas por vontade.
Sonhos que sonham comigo na poesia.
Mundo nosso, abstrato mundo nosso!
Agora eu sei do silêncio que descreve um poeta,
sem rima ou forma aparente.
E no final, uma única palavra: AMOR
Amor dos dias soltos e sorrisos largos.
Largos são os dias em que te tenho,
e que te reconheço em mim a todo instante.
Só quem conhece o bem do sentido mútuo,
sabe escrever dessa palavra de agora.
AMOR, de novo, amor é o que escrevo.

16 comentários:

  1. amor mesmo, em letras, em sentidos repletos de magia, pareces ser encantadora de palavras sabes?

    Lindo demais flor. beijos (L)

    ResponderExcluir
  2. Flor!!!

    Eu adoro a maneira que você escreve!!!

    Eu tenho muitos sonhos de algodão, me perco entre nuvens me esfarelo de emoção!!!

    Um grande beijo, adoro seu canto!!!

    ResponderExcluir
  3. ...
    Jacque amada...
    Gosto muito de suas visitas,
    ainda mais quando ganho presente...rs
    Suas letrinhas estão publicadas.
    Não tinha como não ser.
    Um monte de beijos.
    ...

    ResponderExcluir
  4. Seja como for, se há algo pelo qual devemos lutar, é pelo amor, por quem quer que seja, desde que recíproco. Há muito amor nestas tuas palavras, Jacque, e muita tranquilidade também. E a tranquilidade não parece ter vindo com o amor, parece já existir desde antes, mas o amor a intensificou. Seria, então, a paz de espírito uma premissa para um bom amor? Pensando...

    Lindo texto!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. seus textos sao sempre lindos..conheci seu blog atraves do guh paiva..e estou sempre aqui lendo e admirando seus textos..Parabéns..

    ResponderExcluir
  6. olá jacque

    Realmente as palavras tem sentido quando o amor se faz presente.Tudo cria beleza, cor, textura nesse sentimento real.
    Adoro seus poemas.

    um abraço

    ResponderExcluir
  7. Jacque minha linda, seus textos são tão lindos dentro da simplicidade com que se propõe.
    Ficam melhores ainda emoldurados pelo seu layault que tenho que dizer é maravilhoso.
    Parabéns.

    Beijo e uma linda noite.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Gio...

    Sentir e viver. Nesses últimos dias, tenho vivenciado de fato o poder do amor... Quanto a encantar palavras... Ah, minha linda, elas me encantam... É como mágica.

    Um beijo, doce Clarice!

    ResponderExcluir
  9. Ju, tem coisa mais gostosinha do quê sonhos de algodão?

    Obriga pelo carinho de sempre!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Júlio, eu adoro seu cantinho...Eu vi minhas letrinhas por lá, e, isso me encanta!

    Um beijoo!

    ResponderExcluir
  11. Angel, quando amamos não importa da maneira que seja, jamais devemos desacreditar. A paz de espírito é a premissa pra tudo que é bom. Que adianta amar e não ter? Que adianta amar e não ver, tocar, sentir? Sei lá, a vida me ensinou de quê antes de mais nada, devemos concretizar fatos. As histórias só se tornam histórias quando são vividas. Ah, Angel o tempo... Já pensou no tempo?

    ResponderExcluir
  12. Flavih, que bom tê-la aqui! Seja bem vinda, é uma honra pra mim compartilhar meus versos!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. A garota do blog,

    Oi, lindinha! Que bom tê-la aqui! Ah, eu adoro o Guh! Ele é a intensidade personificada! Eu adorei seu blog também, tô lá te acompanhando!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  14. Fabiano,

    Quando é perceptível não só ao coração, mas ao corpo; aos olhos; as mãos... É amor. Não há dúvida.

    Gosto imenso de suas impressões. Sempre tão serenas e certeiras.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Fátima... Ah, fico tão feliz que tenha gostado tanto dos textos quando do lay. Aqui, tudo é como sinto... As imagens, as palavras; as verdade... Tudo resumido no que sou e sinto...

    Feliz que estejas aqui! Volte sempre!

    Um enorme beijo!

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP