quarta-feira, 14 de abril de 2010

Só porque te olhei

Outrora em virtude me fiz como se tocasse o céu
Era eu uma pluma desprendida a preencher o espaço vago
Dessa longínqua imensidão a qual me dei em completude
E voei todo esse infinito como quem nunca teve asas
Tive diante dos olhos as candeias luminosas antes tão distantes
Carreguei nos lábios o sorriso certo e esperado
Sorri como se ninguém entendesse ou tivesse percebido
E então, vivi mil anos de uma vida em apenas alguns instantes...
... E isso tudo se deu, só porque te olhei.

6 comentários:

  1. Com certeza, Júlio!

    Não desviarei os olhos!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Lindas as tuas poesias, o teu blog! Beleza sensitiva e visual.Adorei! Vou seguir.

    :)
    um beijO!

    ResponderExcluir
  3. Ana, o olhar é a janela da nossa alma, quem disse isso, estava mais que certo!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  4. Sarah,

    Que bom que gostou! Seja bem-vinda, sempre!

    Um beijo!

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP