terça-feira, 22 de junho de 2010

Dois, apenas.


Equilíbrio de almas.
Correr de horas imprevistas.
Ombro amigo.
Necessidade plena.
Corpo que queima.
Beijo que sente o beijo.
Riso que encanta.
Nós que nos fazemos.
Fazemos de nossas vidas um agora
e de nós o que somos:
Um universo infinito habitado por dois, apenas.

Um comentário:

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP