segunda-feira, 11 de maio de 2009

Surtos


Blasfeme aos impuros todos esses desafetos!
Distorça das almas todas as maledicências!
Grite aos ventos sombrios todos os murmúrios!
Esqueça todas as lisonjas costumeiras!
Desista do quadrante infinito das horas!
Viva com o sangue errado nas veias!
Ecloda a fina membrana da insensatez!
Rasgue todos os escritos dos séculos!
Deixe existir um inferno para teu céu!
Beba de todo impuro cálice sagrado!
Fale de amor aos muros e as grades!
Grite o ódio derradeiro que sentes!
Minta ao mundo as tuas inverdades!
Esconda teus sacrilégios desmedidos de antes!
Enlouqueça como quem tem razão absoluta!

2 comentários:

  1. Jacque, obrigado pela visita ao meu blog e por seus comentários tão gentís. Volte sempre.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Um poema que revela um grito de rebeldia, muito bonito.
    beijo e boa semana

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP