quinta-feira, 6 de maio de 2010

Do amor que se sente...


Do amor que se sente
deixo a alegria confessa
da doce mansidão das horas
para dizer que já não tenho mais pressa.
Porque agora somos.
Somos eu e você a mesma melodia,
o mesmo sopro de vento,
as mesmas nuvens do céu.
Somos a inquietação e a calmaria
e o desespero de antes.
Antes do beijo na boca
das mãos se tocando,
da pele queimando
de desejo envolta.
E os olhos seus me dizem
que amor não mede
e nem de dor se aflige,
porque amor vem de repente
e ninguém assim o impede
de tomar conta da alma da gente.

14 comentários:

  1. Minha alma sentiu espelhadas nas palavras a mesma voz, do outro lado do oceano.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Jacque...

    Belo e intenso poema!

    «... porque amor vem de repente
    e ninguém assim o impede
    de tomar conta da alma da gente.»


    Beijosss
    AL

    ResponderExcluir
  3. Pois éah !
    quando há amor,
    quando se encontra o amor,
    só aí tudo faz sentido, tudo se completa.
    E como se não bastasse, toma conta da gente, embriaga nossa mente, nossa visao, e como dizem tudo fica "rosa", engraçado né ?
    é o amor, é o amor.

    ResponderExcluir
  4. Sintonia, Harmonia.
    Isso é muito gostoso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. O amor, no fim sempre é o amor que nos arremessa e nos abraça.
    Película macia esse tal de amor, que transforma o contato do mundo em experiência máxima da sinestesia.
    Abração

    ResponderExcluir
  6. Júlio,
    E não é, amigo!? Nos completa, isso sim!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Milhita,

    Como são poderosas as palavras! Que bom que estás aqui, seja bem vinda!

    ResponderExcluir
  8. Bia,

    Que bom que gostou!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  9. A.L,
    Mesmo que tentemos, contra ele ninguém pode!

    Amor, amor... Sempre amor!

    ResponderExcluir
  10. Yaasmiin,

    Como sempre, seus comentários são certeiros, minha linda menina!

    Um beijo enormeeeeeeeeee!

    ResponderExcluir
  11. Daniel, é uma delícia isso tudo. Está aí o equilíbrio que tanto cito.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  12. Angelo, é sempre o amor que nos conduz, seja qual for a situação. Nele encontramos qualquer resposta e saída.

    Seja bem vindo ao Poética!

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP