sábado, 29 de maio de 2010

Estado Poético



Tenho estado em poesia.
Infinitamente finita.
Impossivelmente possível.
Idéia minha, grave ou tardia,
De um sentido sofrível,
Externo, e não meu.
Sou eu nesse estado mármore frio.
Sou eu nesse estado poético.
Sou eu observando o riso patético.
Sou eu vendo luz em lugar sombrio.

Vez após vez, respiro a fecunda rima.
Desgarro do silêncio num alarido só.
Mas, ninguém ouve aqui de cima,
A minha idéia embalada em dó.

É triste ser poeta nessa hora.
Quando a vida é efêmera, miúda e vazia.
É triste, eu sei, mas, isso logo vai embora,
Com o romper da aurora de um novo dia.

Deixo anônimo o sentimento.
E desconhecido por um tempo.
Um tempo breve como o sono de uma noite
Ou, a passagem de um repentino vento.

Sim, é breve.
Horas, dias, anos, dores...
E os amores?
Esses, são pra sempre.
Esquecê-los, ninguém se atreve.

Então é melhor despir-me por enquanto.
Deixar o sorriso dominar o pranto
E ter o verso em estado de acalanto.




Áudio do poema


À Fabiane Paranhos, Angel e a todas as mulheres que jamais desistem da felicidade. Este poema é dedicado à mim que a cada dia aprende sobre pessoas. Este poema retrata tão só o sentimento da forma mais poética e verdadeira.

9 comentários:

  1. Que linda!

    Obrigada por me dedicar este lindo texto, Jacque (e dizer "lindo texto" ao que você escreve é redundância, viu?!). Nesses altos e baixos, colhendo dores e flores, a gente segue... Não é só o nosso corpo que cresce, que vai de um bebezinho a um adulto, um velhinho... Nossas alma e consciência também, e assim nos fortalecemos, aprendemos, nos superamos, dia após dia.

    Sorte que temos sorte pessoas queridas a nos ajudar, não é mesmo?! Aquelas que nos tomam pela mão e ajudam a caminhar.

    Tudo fica bem, mesmo que o "bem" não nos pareça claro de imediato...

    Linda Jacque! Um abraço apertado, de quebrar cada um dos teus ossinhos! rs.

    P.S.: E esse sotaque, hein?! Hein?!! E o meu que é igual?! rsrs.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Anjo!

    Pois é... a vida é feita dessas nossas superações. Que bom que encontrei pessoas que me ajudaram a entender um milhão de coisas e você é uma delas.

    Como dizia uma grande amiga: "Tudo sempre termina bem"...

    E, terminou, e, estamos todos bem, de um jeito ou de outro.

    Beijo, Anjo lindo!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. "É triste ser poeta nessa hora.
    Quando a vida é efêmera, miúda e vazia.
    É triste, eu sei, mas, isso logo vai embora,
    Com o romper da aurora de um novo dia"

    Isso veio direto com uma flecha à mim...

    Um novo dia, novas razões para sorrir.

    Jacque, obrigado pelo ombro amigo e por tanto carinho que tem à mim atribuído.

    Como disse a anjinha aí em cima, temos sorte de termos nos encontrado, e já não importa mais o que nos uniu, o que importa é que soubemos tirar proveito disso tudo, de forma positiva!

    Eu gosto tanto de vocês!
    E isso sim, tem sido uma grande felicidade à mim, em meus dias nublados.

    Um beijinho e um abraço muito carinhoso.

    Obs: Eu escrevi uma palavra errada, por isso a segunda postagem do comentário.

    ResponderExcluir
  5. Fabi, minha linda!

    Coisa boa encontrar pessoas especiais, não é?

    É isso que a vida nos proporciona e sempre, sempre há um motivo para sorrir, não importa o que tenha acontecido.

    Quando escrevi esse texto me inspirei justamente nisso. A nossa capacidade de renovação. Nós podemos qualquer coisa. E ser feliz, é o que importa!

    Eu sempre estarei aqui, sempre.

    Adorooo você!!!!

    Beijosss e abraço junto ao coração!

    ResponderExcluir
  6. Então tá, Júlio, rs!

    Como sempre, tudo bem!

    Beijoooo!

    ResponderExcluir
  7. Jacque...

    Nada é mais oculto que as palavras de um poema! Quando o escreves, ele brota, imdomável, pois sabe que tem um destino a cumprir!
    Tal como o poeta muitas vezes sente a dor das palavras que ferem como lâminas. Outras vezes exalta até ao êxtase!

    Deixo o meu abraço poeta!
    AL

    ResponderExcluir
  8. E assim é a poesia, doce A.S...

    Essa mistura de sentimentos, essa força mesmo indomável! Não sei me livrar disso, mesmo que eu queira, eu já não posso e não sei.

    Um beijo, meu amigo poeta!

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP