segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Ainda espero


Ai de mim que penso tanto.
Penso nos deslizes que cometi.
Nada mais fiz pra satisfazer meus acertos.
Não sou mais aquela que usa desculpas,
nem mesmo quero ser igual a tantas outras.
Sou essa febre, essa doença sem causa.
Já não posso querer ser o que nunca fui.
Bastam-me as músicas de sempre.
Só isso, ainda é igual.
Já não agonizo no chão gelado,
nem morro da noite para o dia,
mas, ainda fico na janela...
Ainda espero... Como quem espera chuva,
dia de debutar, ou até mesmo uma viagem...
Não achei razões até agora,
para que eu deixe de estar a esperar.


9 comentários:

  1. Boa noite ...
    encantada com seus textos!
    Quero agradecer, o comentário,
    e lhe pedi desculpas!
    Por ter me aconchegado, ao seu espaço!
    Sou fascinada, por por tudo, que diz respeito a deus,
    a natureza, ao amor!
    E respeito o ser humano!
    Escrevo pra relaxar, sem pretensões, não sou poeta!
    Escreverei até, deus me permitir...
    um abraço em seu coração!
    Obrigada ,e bravo!! pelo lindos textos!
    Lindo blog!

    ResponderExcluir
  2. Esperar pensar refletir. Temos mesmo que deixar em nosso cérebro um cantinho para isso tudo.É muito bom mesmo uma introspecção. Mas essa produção esta a toda que bom um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Marina, minha linda! Agradeço de coração teu comentário! Não peça desculpas, aconchegue-se com um pássaro que regressa ao ninho. Seja bem vinda!

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Antonio, meu doce poeta! Gosto imensamente quando analisa meus textos.Isso é muito importante pra mim. Escrevo com ansia meu caro amigo.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Jacque, sua visita me deixou muito feliz. Delícia este seu blog.

    Sim, somos poesia. Em nós se acendem as imagens do mundo.

    bjs

    ResponderExcluir
  6. Sônia, seja bem vinda ao meu espaço poético. Adoro teus textos.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Jacque,

    vim te ver.
    Obrigado pela presença primeva no Eaquador.
    Espero que continuemos com uma amizade bonita em versos e palavras.

    Um abraço sincero.
    Sigamos...

    ResponderExcluir
  8. Oi Jacque, de vez em quando venho aqui dar uma olhada discreta. Esse"Ainda espero" me pareceu desesperança. ??. Acontece às vezes comigo, por isso me identifiquei com ele.
    Mas logo passa, né? Bj.

    ResponderExcluir
  9. Há muito o que ser escrito... Bonito, isto. E o que li aqui.
    Convido-a a visitar http://pretextoselr.blogspot.com/
    Abraço.
    Eduardo L Resende

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP