segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Percepções lúcidas

Avanço o escuro e crio minha própria luz. Vejo todo esse igual rotineiro de maneira diferente. Guardo um espaço recriado em meio aos desenganos do passado. Busco uma alegria solta em sorrisos mágicos fulgurados por estrelas maiores. Saio de mim como se existissem outros caminhos, mesmo perdendo-me no meio da estrada. Cansei do pesar das horas frias e dos apelos esquecidos entre quatro paredes. Paredes brancas e sempre iguais, como minhas falhas repetidas. Sigo minhas escolhas, e o medo de antes, não mais acorrenta meus tornozelos. Sou tão entregue ao que sinto que já me vejo no egoísmo absoluto desses sentimentos que jamais se explicam. Deixarei que as palavras me comovam e o que os ventos guiem meus descompassados passos estreitos. Não medirei meus dias nas expectativas tolas dos sentimentos falsos, nem despertarei ilusões póstumas. Serei a minha loucura de sempre, não mudarei meus acasos em favor de outros que dizem ter a cura para minhas insanidades. Sigo ilesa, mesmo que me machuquem. Acendo minha vela e guio-me sozinha.

4 comentários:

  1. Título: Percepções Líricas!
    "Deixarei que as palavras me comovam e o que os ventos guiem meus descompassados passos estreitos". Lindo seu lirismo arrebatador, febril. Parabéns pela nobre escrita srta.

    ResponderExcluir
  2. Existen momentos na vida em que não temos mais que o nosso eu para seguir em frente.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  3. Penso assim tambem, chega uma hora na vida da getne que temos que seguir, seja lá pra onde for, de encontro a felicidade é o que a gente mais espera né? beijos querida e uma belissima semana pra ti.

    www.olivrodosdiasdois.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. "Avanço o escuro e crio minha própria luz"

    Quando inicias com com essa frase e descreves tua poesia com essa nobreza toda. E a encerras com: "Acendo minha vela e guio-me sozinha"
    Mostras a nós esse brilho que vem da tua alma.

    É de fato um encerramento com chave de ouro minina poeta de alma madura.

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP