quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Negra cegueira

Faças tu, falsetes modestos.
Ludibrie e embace os olhos alheios.
Alimente-se dos teus restos,
E viva destes teus falsos anseios.

Negra é a mentira em branco pano.
Cega por negrume.
Falso coração entregue ao abandono,
fadado a viver do que nunca se assume.


* Um brinde às mentiras!

17 comentários:

  1. É uma cegueira que consome por dentro, como quem se engana. Vê, porque a biologia o prova. Já não vê porque algo torna os olhos baços ao óbvio. Nem sempre é fácil deixar a prisão que nos seca o suor, seca os lábios e empobrece os mais nobres que o coração consegue sentir. Pior é quem se deixa ir, na cegueira, levando quem cega o cego à loucura.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. ...
    Oie Jacque...
    É por isso que gosto das tuas letrinhas.
    E isso é tão verdadeiro que fiz uma homenagem pra você lá no meu cantinho.
    Beijos.
    ...

    ResponderExcluir
  3. Júlio, olha aí do lado! ----------->

    Vai ficar nesse canto mais que especial!

    Obrigada pelo carinho e a sinceridade de sempre!

    Te adoro! Beijo!

    ResponderExcluir
  4. ...
    Querida, não precisa agradecer.
    Considero a blogosfera um espaço fabuloso de interação, compartilhamento e de conhecimento.
    Um espaço (quase) democrático que permite difundir idéias e pensamentos mas, sobretudo, ter o privilégio de poder selecionar e consumir conteúdos que mais nos agradam. E neste caso, eu só estou socializando aquilo que gosto.
    Beijo grande pra vc!
    ...

    ResponderExcluir
  5. Jacque, deixo-te este pensamento:

    "A mentira constante e consistente é o único caminho para a sobrevivência."
    (Groucho Marx)

    É triste e lamentável ver pessoas sobrevivendo em cima de mentiras, mas o pior é ver que existe outras pessoas que se deixam ser enganadas e seduzidas por tais mentirosos.

    Mas um dia a máscara cai, sempre cai...

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. A curiosidade trouxe-me aqui depois de ver a recomendação do Júlio.

    E sinceramente, em nada me arrependo!

    Excelentes textos, parabéns!

    Voltarei sempre, abraços! ;D

    ResponderExcluir
  7. Um brinde às mentiras!² . O seu texto trata do ato de mentir como um dom, um talento nato, temperado com manipulação e falsidade. É como se quem possuísse desse “dom” estivesse predestinado a mentir, como um perfeito ator em tempo integral, como se durante toda a vida dessa pessoa, ela enganasse, omitisse e manipulasse os outros e até a si própria.A habilidade de mentir é um carma, é um dom.Adorei o poema :D

    ResponderExcluir
  8. Jacque, eu falava disso a pouco, no blog da Fabi. Cada um sabe o que faz, planta suas sementes e um dia há de colhe-las. Acrescento algo sobre a mentira. Melhor que conhecer a verdade, só conhecê-la e, aceitá-la.

    Felizes aqueles que conseguem deitar sua cabeça no travesseiro, todas as noites, e ter paz sincera no coração.

    Abraços, linda Jacque!

    ResponderExcluir
  9. Flor,

    Lembrei deste trecho de uma música do Cazuza!!

    "mentiras sinceras me interessam, me interessam"

    Adorei o texto!!

    ResponderExcluir
  10. Jacque,

    Talvez por isso tenha chegado o momento de falar com os olhos! Esses não mentem!

    Beijos...
    AL

    ResponderExcluir
  11. Luís, realmente, a cegueira chega a beira do abismo da loucuras, mas, nada como a verdade para nos mostrar um novo caminho.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  12. Fabi, há muitos que vivem de mentiras. Mentem antes de tudo, pra si mesmos.

    Quanto as outras pessoas, infelizmente, só elas são capazes de abrir os olhos.

    Um beijo, obrigada por tudo!

    ResponderExcluir
  13. Marcia, seja infinitamente bem vinda! É um prazer tê-la aqui! Obrigada pelo elogio!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  14. Yasmmin, eu adorei teu comentário! Você disse muita coisa aí, principalmente que a "habilidade de mentir" é um dom... Realmente, tem que haver dom pra isso!


    Um beijo, volte sempre!

    ResponderExcluir
  15. Angel, só conseguimos mesmo deitar a cabeça no travesseiro e ter a paz sincera no coração, quando aniquilamos qualquer lembrança ruim, sofrimento ou desilusões. Um dia me fizeram me sentir culpa e me julgaram. Hoje, nada mais disso tudo interessa, deito a cabeça no travesseiro e descanso com a paz que um dia foi tirada de mim.

    Um beijo, minha linda!

    ResponderExcluir
  16. Ju, minha linda! É sempre tão bom te ter aqui! Boa lembrança a do cazuza! Ele mandava muito bem!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  17. AL, realmente... os olhos nunca mentem, mas há alguns que são falsas esmeraldas.

    um beijo!

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP