segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Descompasso das horas boas...

Faz de mim sua fiel companhia. Sou o descompasso dessas horas boas, sorvo-me da fina garoa translúcida que teima em querer existir no clarão desses postes iguais. As noites não são mais a mim ligeiras, delas remonto meus dias antigos, construo as objeções sem valia, reconheço os erros maiores e os acertos que agora me dão a razão de paz tamanha. Deito minha alma na sua. Recolho com zelo a lágrima boa, que molha meu sorriso o qual você é o dono. Juntos, descobrimos mais daquilo que somos. Já não há menção de dúvidas: Eu te amo.

Do que sei:

O amor é grande na simplicidade.
É o detalhe mais percebido,
a premissa da felicidade,
o sonho mais real e bem vivido.

13 comentários:

  1. É só o que se precisa saber do amor...

    ResponderExcluir
  2. No amor oferecido
    no amor recebido
    se ambas as partes
    formarem um todo
    ai esse amor plenamente
    pode a dois ser vivido.

    ResponderExcluir
  3. Os últimos "versos" resumem, a solo de piano, tudo o que o amor é e os sentimentos representam no geral. Fez-me pensar....

    :)

    Beijo, Jacque

    ResponderExcluir
  4. Ainda vivo querendo aprender mais sobre o amor..

    ResponderExcluir
  5. Cah, obrigada! Bom te ter aqui!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  6. Julio, esse é o nome: FELICIDADE!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Antônio, meu poeta! ADORO quando deixa aqui os seus doces versos!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  8. Luís, os sentimentos só existem se forem vivenciados de fato.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  9. Mikaele, aprendemos sobre o amor todo dia. E quando dele sabemos, passamos a perceber toda a sua simplicidade.

    Um beijo, minha linda!

    ResponderExcluir
  10. "As noites não são mais ligeiras a mim, delas remonto meus dias antigos, construo objeções sem valia, reconheço os erros maiores e os acertos que agora me dão a razão paz tamanha."
    Tem certos períodas da vida, certas fases nossas, que as noites se tornam lugar de turismo das lembranças e nós nos vemos mentalmente presos num jogo inútil que nos leva a pensar em atitudes passadas, mesmo sabendo que não irá mudar nada de fato, e enfim às vezes passam por nossa cabeça de forma a nós alíviar atitudes que hoje reconfirmamos como "corretas". Lindo texto. Parabéns, lindo dom o seu.Um texto pegueno, sentimento transbordante. *Passa lá no Registros em Versos;*

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP