quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Saudade nova


Eu não sei mais sentir uma saudade.
Eu sinto todas.
Meu coração bate como o de um animal em fuga,
quando sua voz teima docemente em ecoar em meus ouvidos.
Você que dizia não ser poeta, me fez versos,
segurou minhas mãos e pacificou minha alma.
Não falou de amores impossíveis.
Nem de sonhos que jamais seriam realizados.
Simplesmente falou de nós e do raro que somos.
Tenho sentido falta dos seus olhos.
E das vezes em que segurava minha mão e dizia:
“ Você me fez ver um mundo novo”

Irei aguardar o seu regresso, como prometi.
Meus versos de agora, não mais anseiam
e nem me trazem um desconforto de adeus,
eles declaram somente essa saudade que tenho.
Uma saudade nova.
De alguém que eu já conheço há muito tempo.


Que bom que você existe.

3 comentários:

  1. Que sentimento bom... Só assim vale a pena sentir saudade.

    Grande abraço, Jacque!

    ResponderExcluir
  2. Ai, meu Deus! Quase que choro aqui. Gosto da forma que escreve: é direta, certeira. E eu quase me emocionei, de verdade. Saudade, saudade...

    "Se eu te troquei, não foi por maldade. Veja bem meu bem, arranjei alguém chamado saudade."

    Me lembrou dessa música.
    PS: fiquei MUITO feliz com teu comentário lá. Muito obrigado pelo que disse! Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Certa nostalgia alimenta a alma...concordas?

    Belas palavras. Tão sensível...

    Estou lhe seguindo aqui, ok?

    Estás participando da nossa comunidade? - sim, esta tb é sua já que escreves =)

    http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=96229629

    Incontáveis abraços.

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP