terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Verdades escritas



Olhemos para o céu. Há nele imperfeições? Existe numa flor a maldade? Existe numa revoada de pássaros a impureza? O que somos nós diante de tudo isso? Folhas em branco. Escrevemos tão só a nossa própria poesia. Mas muitos nós, pensamos ser os detentores de toda a verdade. Não sabemos de fato da vida de ninguém, matamos nossa própria poesia. Sentamos no trono do egoísmo e ditamos as regras. Deixamos a vida crua. Tornamos-nos possuidores uns dos outros julgando isso ser sentimento verdadeiro. Breves... Como são breves nossas certezas, dissolvem-se em meio aos nossos julgamentos imaturos e superiores. Impomos aos outros as nossas verdades, sem saber de nada. Como somos tolos e insensíveis. Como podemos então gritar aos quatro ventos sobre o amor? Quando fazemos de nós mesmos seres ignorantes. Imperfeitos, somos todos, apenas devemos aprender a reconhecer isso.


A vida é poesia e sentimento. Quem sente não pode ser falso. Quem vive de poesia, não consegue viver de mentiras. As pessoas pensam o amor, no total egoísmo. Limitam o amor aos seus preciosos olhos que tudo enxergam, pois se sentem assim, donas de todo conhecimento e de toda a verdade. Alguém sabe o que é amar alguém verdadeiramente? Amar sem ódio, sem ciúme, raiva, sem procurar interferir no que o outro faz ou pensa, sem condenar, sem comparar? As pessoas conhecem profundamente a história de vida de cada uma para julgá-las? Não, elas preferem encontrar a pior maneira para imporem seu egoísmo, preferem sempre os piores caminhos, dentre eles, o da ignorância.


Por isso, prefiro o céu, as flores, os pássaros... Prefiro essa minha poesia de cada dia que relata o que sinto na alma. Prefiro os sentimentos às mentiras, e isso, só eu sei como é, mais ninguém. Sinto-me no privilégio dos versos e no prazer da escrita. Só quem sabe disso, pode ser capaz de me entender nesse momento. Quem não sabe, segue a vida a passos de ganso, acreditando na verdade que lhes cabem.

4 comentários:

  1. sinto tristeza nessas belas palavras... sinto uma tristeza perdida entre sorriss e esperanças...

    ResponderExcluir
  2. *_____*
    Que mais a dizer?
    Sempre bate lá no meu fundinho
    Raso e puro
    perfeito!
    A foto então?!-casou com a escrita!
    Bjos flor o/

    ResponderExcluir
  3. E tua preferência tem muitos seguidores, não há mentiras na natureza, só esta cândida beleza que traz paz à alma.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, minhas flores mais lindas! Que bom que vejo em vocês o reconhecimento das minhas verdades. Feriram a poesia. Feriram a mim... Deixo aí, um desabafo e uma verdade. Não precisavos mesmo usar de palavras lindas para dizer que amamos e sentimos de verdade. Uma simples palavra, já diz muito. Agora, duvidar da poesia? Isso eu não aceito jamais, porque só quem escreve, sabe o que é ter nas mãos o sentimentos.

    Obrigada, por me compreenderem.

    Um beijo à todas vocês.

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP