terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Beija eu

Outrora minha alma de afagos viu-se inebriada,
onde em sonho toquei-te o corpo sedento de vontade,
e na paz descansei minha aflição exagerada.

Na impaciência perseguidora daqueles que desejam,
revivo desses meus febris pensamentos avassaladores,
porque em verdade quando duas bocas se beijam,
simplesmente se entregam ao prazer de seus amores.






7 comentários:

  1. Quanta verdade.....não há mais nada a ser dito qnt duas bocas se encontram, seja bem devagar, ou de uma forma avassaladora. Sinceramente, minha ascendente(gostei de saber disso), prefiro as duas formas juntas. ;)

    Incontáveis abraços

    ResponderExcluir
  2. No desejo incontido
    esse beijo sentido
    loucuras do amor
    são seres entregues
    nos beijos dados
    no fogo acalmando a dor.

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu blog, seu cantinho de sentimentos expressos.Muito lindo!


    Tornei-me sua seguidora!

    obrigada pela visita e pelos comentarios no meu blog. viu!

    ResponderExcluir
  4. Mais um belo poema, vivo de sentimentalidade.

    ResponderExcluir
  5. Agradeço à todos os sinceros comentários que só me motivam a espalhar esses meus humildes versos.


    Um abraço sincero à todos vocês!

    ResponderExcluir
  6. "(...)porque em verdade quando duas bocas se beijam,
    simplesmente se entregam ao prazer de seus amores."

    O beijo é a maior fruição conjunta. É óptimo beijar. E esses seus versos têm essa ansiedade do prazer e a levidade dos sentimentos metafísicos.

    Um beijo, Jacque. Mais uma excelente construção poética.

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP