segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Mudar ou melhorar?

Devemos repetir sempre: “Tenho que melhorar completamente; desde as raízes do meu ser. Mudar, não é da natureza". Somos criados em essência, e essências não mudam, melhoram. Já sentistes as melhores fragrâncias? Pensas que as essências são agradáveis? Não, muitas jamais agradariam, mas, ainda sim, são essências, e foram “melhoradas” e ganharam um novo sentido. Ganharam nova vida. Somos dependentes, eternos dependentes. Não podemos depender das tradições, porque elas criam a indolência, aceitação e a obediência, não podemos contar com os outros para que melhoremos, mas à eles devemos ser gratos todos os dias, por usarem de qualquer palavra amiga que nos faça despertar-nos para o que somos. O que acontece então? Qual a razão de tamanho vazio? Quais as causas? O que nos faz sofrer?

A principal causa dos nossos sofrimentos são os medos. Eles não só nos apavoram friamente. Eles nos privam de qualquer vontade maior, qualquer fé, esperança... O medo nos cega, derruba e nos enterra. Digamos que tivemos ontem, uma experiência que nos ensinou algo ruim ou bom, não importa. Retiramos o ensinamento, o levamos conosco, eis, então, os pilares para as melhoras. Mas, muitos de nós, vivemos do que morreu. O passado não existe. O grande mal do ser humano é não compreender o movimento vivo e a beleza da natureza desse movimento. E não compreendo isso, morre. Morre sobre a vida, porque se questiona sobre o ontem, alegando mais erros que acertos e mais tristezas que alegrias. Devemos morrer sobre as coisas de ontem, só nesse estado é que se aprende e observa.

Para tanto, requer-se grande capacidade de percebimento, de real percebimento do que se está passando no interior de nós mesmos, sem corrigir o que vemos, nem dizer, o que deveria ou não deveria ser. Vamos pois, investigar juntos à nós mesmos. Vamos fazer juntos uma viagem, uma viagem de exploração dos mais secretos recessos de nossa mente. Para realizar essa viagem, precisamos estar livres; não podemos transportar uma carga de opiniões, preconceitos e conclusões - todos os trastes imprestáveis que juntamos no curso dos últimos anos. Devemos esquecer-nos de tudo, que sabemos a respeito de nós, vamos começar o hoje, pois o agora pouco, já morreu. “E me dirás: “Não é fácil” e, lhe responderei:” É mais difícil do que tu pensas”.

O que devemos fazer então? Só há um caminho, e todos nós sabemos, apenas, não aceitamos como deve ser aceito. Passemos a observar então, o que já morreu, como o fim de uma chuva, por exemplo. Ela acaba-se na terra, para que dela brote a vida. A noite passada choveu torrencialmente e agora o céu está começando a limpar-se; é um dia novo, fresco. Encontremo-nos com este dia novo como se fosse nosso único dia. Iniciemos juntos a jornada, deixando para trás todas as lembranças de ontem, e comecemos a compreender-nos pela primeira vez. Cada amanhecer é sempre a primeira vez. . Somos livres, e por sermos livres, devemos “agir”. Essa é a palavra. Conseguinte, não há medo, e a mente sem medo é capaz de infinito amor. E o amor pode fazer tudo o que quiser. Seja amor, permita-se ao amor. Viva o amor real.

Só o amor tudo vence.
Só Deus tudo sabe.
* Eu publiquei esse texto há algum tempo, achei que deveria fazer isso novamente. É uma visão minha do que diz respeito a nos conhecermos de fato.

10 comentários:

  1. [mensagem recebida; vida de desalinhado precisa de átomo em movimento, ou seja, palavra alimento]

    um imenso abraço, Jacque

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  2. Que bom que publicou novamente esse seu texto. Primeiro porque fala sobre algo que não envelhece e sai de moda. E segundo, porque é maravilhoso.

    Já falei muito sobre esse mesmo assunto e já li muito sobre ele também, mas gostei muito do jeito como você falou sobre esse assunto.

    Engraçado como a vida nos ensina através da chuva, da terra, do ar, das plantas e etc...

    Interpretar o recado do que a vida quer nos dizer, seja acertando ou errando, tudo se aproveita, desde que saibamos interpretar.

    Daniel

    ResponderExcluir
  3. Mudar é ignorar o nosso interior e as nossas bases. Melhorar é caminhar para frente, embora tudo nos possa parecer negativo, no início. Estou a melhorar, neste momento. É isso mesmo. É assim que vou pensar. Não estou a mudar. Este texto caiu no momento certo e na hora certa na minha vida. Obrigado pela republicação e pelo comentário. Obrigado pela força das suas palavras.
    E sim, a vida, e tudo o que ela nos dá e tira, deve ser interpretada. "Ter uma visão positiva da vida é uma atitude", já dizia Clair Braschaw.

    Um beijo, Jacque!

    ResponderExcluir
  4. Adorei seu texto. Mais é um assunto que gera tantas opiniões distintas...
    Mudar, melhorar... Melhorar, mudar.
    Acredito muito em mudanças. Acho que mudanças conscientes, como consequência, nos trazem melhoras. Precisamos experimentar, ousar e pra isso é preciso um bucado de coragem pra MUDAR o que nos impede.

    Adorei seu blog, além dos ótimos textos, tem um design lindo!

    Beijos! Sigo com certeza (:

    ResponderExcluir
  5. Leonardo, é isso. O átomo em movimento... a vida pedindo pra ser vivida!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Daniel, a natureza em toda a sua grandeza (Deus), deixa-nos em enignas fáceis as respostas que tanto procuramos e muitas vezes, achamos inifinitamente difíceis pelo simples fato de não analisarmos nosso próprio "eu"

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Luís, que bom que o texto lhe coube, fico imensamente feliz que minhas palavras tenham feito significado pra você. Siga, meu amigo, vivendo do que a vida lhe oferece de bom.

    Um abraço apertado!

    ResponderExcluir
  8. Flávia, que bom que esta por aqui agora. Obrigada pelo elogio e o comentário. E sim, mudar ou melhorar o que seja, deve ser forjado em muita coragem.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  9. Julio, obrigada pelo carinho com as minhas letrinhas! :)

    Um beijo!

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP