sábado, 9 de janeiro de 2010

Percepções

Ai de mim que penso tanto!
Penso nos deslizes que cometi.
E nada mais fiz pra satisfazer meus acertos.
Não sou mais àquela que usa desculpas,
nem mesmo quero ser igual a tantas outras.
Sou essa febre, essa doença sem causa.
Já não posso querer ser o que nunca fui.
Apenas quero amar demasiadamente.
E isso, nunca muda, sempre será igual.
Já não agonizo no chão gelado,
nem morro da noite para o dia,
mas, ainda fico na janela...
Ainda espero... Como quem espera chuva,
dia de debutar, ou até mesmo uma viagem...
Guardo um livro secreto dentro de mim.
Aprendo sobre pessoas, perigos e possibilidades.
Tenho a vastidão de um canto de quarto,
e um pequeno aparato em minhas mãos.
E nessas horas em que me encontro de fato,
deparo-me com meu jeito estranho e abstrato.
Quero apenas sentir mil vezes o que é ser amada.
Porque sou uma menina que acredita em sonhos,
e sou uma mulher que sonha acordada.

15 comentários:

  1. Pessoa dizia, pelas mãos singelas de Caeiro, que "Pensar é estar doente dos olhos", porque o Mundo não foi feito para pensarmos nela mas para olharmos para ele. O mais profundo acto de auto-conhecimento é olharmos para nós mesmo. Tu, poética, das-te a conhecer por esta via, porque vês. E é óptimo e gratificante ler-te. E continuamos, como tu, à espera. À tua espera. À espera do teu próximo poema.

    um beijo

    ResponderExcluir
  2. Sublime.

    O seu blog é como uma droga pra mim, e eu sou totalmente dependente/viciado em suas palavras.
    Sempre tão doce e objetiva.

    És um encanto.
    Incontáveis abraços minha ascendente.

    ResponderExcluir
  3. Ao se disponibilizar para o amor, eis que ele a qualquer momento estará contemplando sua expectativa.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  4. Olá Jacque

    Essa menina que quer sonhar
    e a mulher que sonha acordada
    numa noite cheia de luar
    até a uma manhã orvalhada

    Um beijinho,
    José

    ResponderExcluir
  5. Ainda agonizo no chão gelado,
    sempre morrendo da noite para o dia,
    mas,nem piso na janela...

    [risos]

    Ainda estou digerindo sua poesia.
    Poeticamente, não fico com alguém sem saber o nome.

    Seguirei você e seus escritos.

    Beijos,


    [foi o que minha alma sentiu] [ou mentiu]

    ResponderExcluir
  6. "Poeticamente, não fico com alguém sem saber o nome."

    Minha vida literária é uma balada. Mas eu não pego ninguém. Danço sozinho. E leio sozinho...

    Então, acompanharei aos poucos você bebendo este drinque-poético.

    [risos enormes]
    Ou seja, eu vou ficar vindo aqui... que merda...

    Eu complico as coisas.

    ResponderExcluir
  7. Luís, meu caro... Nem imaginas o quanto à mim é necessária essa procura/espera pelo meu "eu" que às vezes foge por aí. Eu já disse diversas vezes que sou completamente apaixonada por Fernando Pessoa. Caeiro, então, é meu heterônimo preferido, particularmente, lendo Caeiro, consigo entender de toda essa metafísica e do processo de crença que me fez enxergar Deus na natureza. Bah... isso é um assunto ao qual me destino a tratar contigo ainda por diversas vezes! Quanto a minha poesia, só tenho a agradecer imensamente a sua sensibilidade diante dos meus versos. Que bom que esperas por versos...

    Obrigada pela companhia de sempre!

    Um beijo e um abraço demorado!

    ResponderExcluir
  8. Carlo, estas proibido de sair daqui! Como não sairei do teu blog, que pra mim, também é um ópio necessário e bom! Não fujas, meu doce e eterno romântico!

    Obrigada pelo carinho... e...

    Incontáveis abraços, rs!

    ResponderExcluir
  9. Cadinho Roco, pois é... Há espera melhor que essa? Bem sei que não! Por isso, espero... sempre espero...

    Obrigada por vir aqui! Já estou por lá!!


    Um abraço!

    ResponderExcluir
  10. José, meu nobre Poeta! Que bom que deixas versos para que meus olhos se encantem. Obrigada pelo carinho de sempre.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  11. Luiz, devo tomar cuidado contigo, afinal, tu és poeta!!! rs.. (brincadeira).

    Eu adorei o teu blog meu caro! Já disse, levarás ferroadas minhas!!

    Um beijo, e volte sempre!

    ResponderExcluir
  12. ai eu tbm sou td isso!que lindo seu poema !obrigada pela visita ao romantic e vc tbm será sempre bem vinda -lá,voltarei ok?!bom começo de semana pra vc!bjs! marcia.

    ResponderExcluir
  13. Não agradeça, Jacque. Continue com força e ânimo para continuar a despertar em mim esta imensa vontade de comentar. Que seja sempre em dobro e em triplo do esperável. Para mim ser seguidor é seguir mesmo, com alma e coração, porque sou maior e melhor com todos os bocadinhos que vou aprendendo convosco e contigo em particular. Obrigado eu. Sempre.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  14. Romantic, obrigada por vir! Respire por aqui os ares do amor e da poesia, assim como fiz por lá!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  15. Luís, tu és memso um fofo! Aprendo demais contigo também, acredite. Seguimo-nos, sempre!

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP