domingo, 17 de janeiro de 2010

Segue a vida cega

Possas tu, perceber da doçura em meio aos sofrimentos,
mesmo que desfaleçam todas as bonitas flores,
postas ainda entre destroços e lamentos.

Há uma imagem viva de olhos fulminados.
Onde se fartam os sofrimentos?
Nos olhos que por amor foram desenganados?

Nem sempre.

Muito se sofre por coisas as quais se renega.
Segue a poesia...
Segue a vida cega.




* Se a poesia pudesse aplacar as dores, eu escreveria mil versos desesperados, para que deles, a paz resurgisse e confortasse o coração dos que sofrem.

10 comentários:

  1. Compartilho deste seu sentimento, Jacque. Como pode um povo ser vítima de tanto sofrimento? E nós aqui, dando a nossas dores uma dimensão grandiosa, achando que no mundo somos o único que sofre. Isso sim é sofrer.

    Queria muito fazer mais, mas infelizmente não posso.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Vai de encontro aquilo que disse no blogue sobre o Haiti, prefaciando José Saramago (não sei se gosta): São cegos que mesmo vendo nada vêem. A nossa humanidade é fictícia e postiça, porque em Estados de necessidade, sem lei nem grei, tudo é vão e quebravel. A Nós, os que vivemos em paz e harmonia com as nossas coisas, resta-nos ajudar. Com o pouco que seja. Com uma oração. Os Estados, esses entes políticos, levam a ajuda verdadeiramente dita. Sabe, é nestas alturas que me apercebo que nós somos pequenos, muitos pequenos. Nada podemos. E mais, o sofrimento que vivemos é pequeno na mesma medida. Temos tudo o que eles nunca terão. E ainda ousamos ser tristes.

    Um beijo, Jacque. :)

    ResponderExcluir
  3. Jacque...

    Tudo é tão frágil!...

    Por isso cada minuto é o mais importante!!!

    Beijos...
    AL

    ResponderExcluir
  4. Tudo o que podemos fazer a favor das situações no Haiti é de grande valia.Sei que nos sentimos paralizados em frente aos problemas, e não temos como tomar atitudes imediatas,mas Mesmo que seja uma oração, um apelo,palavras tudo conforta tudo ajuda.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. A poesia por vezes aplaca dores e de algum jeito, não sei qual, dá a elas uma certa beleza. E sim, ela coforta corações!

    ResponderExcluir
  6. Vamos orar, Angel... Vamos pensar nas vezes em que reclamamos de coisas tão banais... Às vezes, me envergonho...

    Um abraço, minha linda!

    ResponderExcluir
  7. Luís, eu adoro Saramago! Tens razão, meu amigo. Somos pequenos perante a tanto sofrimento. Reclamos muitas vezes, de coisas que nem fazem sentindo, como reclamar de uma comida que talvez não esteja do nosso gosto, uma roupa que não nos agrada... Coisas tão miúdas e insignificantes... Não deveríamos ousar ser tristes...

    Um beijo, meu amigo! Obrigada por estar também no "Sementes"

    ResponderExcluir
  8. AL, sim tudo é muito frágil. Que somos nós perante a força da Natureza?

    "A vida é uma vela acesa ao vento..."

    Obrigada, um abraço sincero.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Fabiano! É essa sensação de mãos atadas que nos faz refletir... O que poderíamos fazer? Oremos, meu caro... Sempre!

    Um abraço, meu amigo!

    ResponderExcluir
  10. Cynthia, agarremos então na poesia. É certo que de alguma forma ela ameniza a alma.

    Obrigada por estar aqui!

    Um abraço!

    ResponderExcluir

O que sentiu sua alma?

Vida

Vida
Há muito o que ser escrito...

A quem siga vivendo de alegria ou agonia... Eu sigo vivendo da minha alegre e agonizante poesia.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

  © Blog Design by Simply Fabulous Blogger Templates

Back to TOP